Visite o faro do Bairro Histórico

Quando se passeia pelas ruas de Colonia del Sacramento uma das atividades obrgadas é fazer uma visita ao faro do Bairro Histórico, que já conta quase com mais de 150 anos de história onde soube ser de grande utilidade para as embarcações que chegavam à cidade.

Hoje em dia as instalações do faro podem ser visitadas os dias de semana a partir das 13 horas até o pôr do sol, o os fins de semana a partir das 11 horas. Encontra-se sobre a Rua De San Francisco entre Plaza Mayor e De San Pedro, construído sobre as ruínas do Convento de San Francisco Javier.

Resenha histórica do faro do Bairro Histórico

A idéia de construir um enorme foco de iluminação surge logo da quantidade de naufrágios ocorridos nesta zona do país, sobre tudo porque vários dos protagonistas foram barcos com grandes tesouros de ouro e prata a bordo.

 

As obras começaram no ano 1845, mas foram interrompidas pelo ataque à cidade pela frota de Garibaldi no marco da Guerra Grande. As mesmas foram retomadas anos mais tarde na década do 1850, logo que o governo juntasse dinheiro cobrando impostos aos barcos que paravam em Colonia.

A construção conclui com uma enorme torre, cuja altura focal chega aos 34 metros sobre o nível do mar. A inauguração foi no ano 1857, sendo a partir desse momento de grande utilidade já que sua iluminação lhe permitia ser visto até 6.4 milhas de distancia.

Popularmente foi denominado “farola trágica” já que foi protagonista de dois episódios fatais. O primeiro deles aconteceu em 1873 quando o faroleiro José Otondo falecera a causa de um incêndio, enquanto que o segundo teve como protagonista ao encarregado Modesto Feal, quem se suicidou no lugar em 1918. Ao ser uma cidade pequena com poucos habitantes, ambos os fatos comoveram à sociedade da época.

 

Com o passo do tempo o faro do Bairro Histórico passou a ser um dos principais centros de atração da cidade coloniense, motivo pelo qual em 1976 foi declarado Monumento Histórico Nacional pelo Poder Executivo. Por isso hoje em dia não se pode deixar de visitá-lo cada vez que se viaja a Colonia.